82. O Corpo Governante e as Vacinas (3)

William do Vale Gadêlha


Anos depois, o Corpo Governante toca novamente no assunto das vacinas. Embora confirmando a liberação, ele mostra reservas e diz que o uso das vacinas é "uma contaminação do sistema humano". É um estranho raciocínio, pois se a vacina é, de fato, uma contaminação, muito maior contaminação seria a doença da qual ela livra a pessoa.

O leitor queria saber se a Sociedade já havia mudado seu ponto de vista quanto às vacinas. Ela cita a revista A Sentinela de 1.º de fevereiro de 1959 (página 74 desta obra), que libera as vacinas, dando a entender que nunca teve outra opinião! Deixou de esclarecer ao leitor que ela condenava as vacinas em 1931 (página 80). O motivo? Provavelmente para esconder das Testemunhas mais recentes a culpa pelas mortes, aleijamentos e deformações resultantes da proibição que vigorou por mais de trinta anos!

Em João 10:10, Jesus disse: "Eu vim para que tivessem vida e a tivessem em abundância." Para um grupo de pessoas que afirma ser "o escravo fiel e discreto de Jesus", parece muito estranho que suas decisões passadas nas áreas de transplantes, vacinas e frações de sangue tenham resultado em danos e perdas às vidas das pessoas.

   A Sentinela, 1.º de abril de 1962, p. 223
A Sentinela, 1.º de abril de 1962, p. 223
A Sentinela, 1.º de abril de 1962, p. 223

Índice