Capítulo 1: Por Que Ler a Bíblia?

Texto: Seeker


Comentário ao Capítulo 1: "Por Que Ler a Bíblia?" do livro A Bíblia -- Palavra de Deus ou de Homem?, publicado pela Sociedade Torre de Vigia em 1989.

Capítulo 1

Por Que Ler a Bíblia?

Vivemos num mundo cheio de problemas e de muito poucas soluções. Muitos milhões de pessoas passam regularmente fome. Cresce o número dos viciados em drogas. São cada vez mais as famílias que se rompem. O incesto e a violência na família estão constantemente nas notícias. O ar que respiramos e a água que bebemos aos poucos estão sendo envenenados. No ínterim, mais e mais de nós somos vítimas de crimes. Acha que esses problemas serão alguma vez solucionados?

Concordo que existem problemas no mundo, mas existem igualmente muitas respostas. Os problemas que são mencionados acima estão a ser combatidos por aqueles que se dão ao trabalho de fazer mudanças. Há muitas pessoas nestas condições. O uso de drogas está a diminuir, o crime está a diminuir, a poluição está a diminuir. É verdade que estes problemas nunca desaparecerão completamente, mas também não ficam cada vez piores, como o parágrafo parece insinuar.

Diga-se, de passagem, que fome, abuso de drogas, famílias desfeitas, incesto, violência familiar, poluição e crime -- todas estas coisas podem ser encontradas entre as Testemunhas de Jeová. Elas deviam ser cuidadosas quanto a apontar o dedo...

ALÉM disso, vivemos numa era de difíceis escolhas. Por exemplo, muitos são implacavelmente contra o aborto, classificando-o de assassinato de nascituros. Outros acham com a mesma convicção que as mulheres têm autoridade sobre o seu próprio corpo e devem elas mesmas decidir tal assunto. Muitos encaram o homossexualismo, o adultério e o sexo pré-marital como flagrante imoralidade. Outros acham que estas práticas são uma questão de escolha pessoal. A quem cabe dizer quem está certo e quem está errado?

Exactamente, embora isto não impeça o autor desse livro de tentar dizer-nos o que está certo e o que está errado.

2 A Bíblia oferece orientação em assuntos de moralidade, e ela descreve soluções eficazes para os problemas do crime, da fome e da poluição. O problema é que a maioria das pessoas não mais encara a Bíblia como autoridade em tais assuntos. Houve tempo em que ela era escutada com respeito -- pelo menos no Ocidente. Embora a Bíblia fosse escrita por humanos, no passado a maioria na cristandade aceitava-a como a Palavra de Deus, e cria que o próprio Deus havia inspirado seu conteúdo.

A Bíblia tem algumas linhas orientadoras que revelam bom senso e que são seguidas por pessoas por toda a terra, incluindo muitos que mal ouviram falar da Bíblia. Olhem para a nações "não-cristãs", e notem como estas parecem ter os mesmos problemas e as mesmas soluções que as nações "cristãs". Por que é que a Bíblia não fez qualquer diferença?

3 Hoje, porém, está na moda ser céptico para com tudo: os costumes, as idéias, a moral e até mesmo a existência de Deus. Em especial, as pessoas duvidam do valor da Bíblia. A maioria delas parece considerá-la antiquada e irrelevante. Poucos intelectuais modernos a encaram como a Palavra de Deus. A maioria das pessoas prefere antes concordar com o erudito James Barr, que escreveu: "Meu relato sobre a formação da tradição bíblica é um relato sobre trabalho humano. É a declaração da crença do homem."1

Conforme veremos, este é o ponto de vista que tem mais sentido e é aquele que os factos apoiam. Discorda? Sinta-se à vontade para escrever uma refutação daquilo que eu vou dizer.

4 É esta também a sua opinião? Acha que a Bíblia é a palavra de Deus ou a de homem? Não importa como responda a esta pergunta, considere o seguinte ponto: Se a Bíblia for apenas a palavra de homem, então, logicamente, não há solução clara para os problemas da humanidade. Os homens simplesmente terão de se arranjar o melhor que puderem, esperando de algum modo evitar envenenar a si mesmos a ponto de deixar de existir, ou de ir pelos ares numa guerra nuclear. Mas, se a Bíblia for mesmo a Palavra de Deus, então ela é exatamente o que necessitamos para conseguir passar por estes tempos difíceis.

Este é um exemplo claro da lógica defeituosa da Sociedade. Não há nada de "lógico" ao se dizer que se a Bíblia é meramente a palavra de homens então não há solução clara para os problemas da humanidade. Uma coisa não decorre da outra, e é uma simplificação extrema e grosseira dos factos. Quanto à sobrevivência, a humanidade tem conseguido aguentar-se durante milénios e parece que continuará a fazê-lo. Tácticas intimidatórias não ajudam em nada.

5 Esta publicação apresentará evidência de que a Bíblia é realmente a Palavra de Deus. E os editores esperam que, depois de você ter considerado a evidência, se dê conta de que a Bíblia contém a única solução válida para os problemas da humanidade. Primeiro, porém, gostaríamos de trazer à sua atenção alguns fatos que, já por si sós, tornam a Bíblia merecedora da sua consideração.

Veremos que tipo de 'evidência' a Sociedade apresenta...

O Livro Mais Divulgado de Todos os Tempos

6 Para começar, ela é o livro mais divulgado, o de maior distribuição em toda a história. Segundo a edição em inglês, de 1988, de Guinness -- Livro de Recordes Mundiais, calcula-se que se imprimiram 2.500.000.000 de exemplares entre 1815 e 1975. Esta é uma quantidade enorme. Nenhum outro livro na história sequer chegou perto das cifras de distribuição da Bíblia.

7 Além disso, nenhum outro livro foi traduzido para tantas línguas. A Bíblia pode agora ser lida na sua inteireza ou em partes em mais de 1.800 idiomas. A Sociedade Bíblica Americana relata que a Bíblia está agora disponível a 98 por cento da população de nosso planeta. Imagine o enorme esforço despendido na produção de tantas traduções! Que outro livro recebeu tanta atenção?

É claro que isto só prova que essas pessoas pensam que a Bíblia é a palavra de Deus. Não é uma prova de que a Bíblia é realmente a palavra de Deus. Analogamente, o Livro de Mórmon, o Alcorão e outros livros 'sagrados' tiveram uma circulação tremenda, mas é claro que nesses casos nenhum cristão interpreta esse facto como evidência de inspiração divina. A espantosa circulação do Alcorão não significa nada para um cristão, além do facto de que os muçulmanos pensam que o Alcorão é a palavra de Deus. Uma grande circulação não constitui prova, da mesma forma que a gigantesca circulação do 'pequeno livro vermelho' de pensamentos de Mao Tse Tung ou dos CD-ROMs da America Online não constitui prova da sua origem divina.

Lembre-se, a chave da questão é as pessoas pensarem que algo é a palavra de Deus, e depois essas pessoas fazem coisas fantásticas. O ponto central é o zelo, não é a exactidão.

Livro de Influência

8 A Nova Enciclopédia Britânica classifica a Bíblia como "provavelmente a coleção mais influente de livros na história humana".2 O poeta alemão Heinrich Heine, do século 19, confessou: "Devo meu esclarecimento simplesmente à leitura dum livro ... a Bíblia. Ela é corretamente chamada de Escrituras Sagradas. Aquele que tiver perdido seu Deus pode redescobri-Lo neste livro."3 Durante aquele mesmo século, o ativista antiescravista William H. Seward proclamou: "Toda a esperança de progresso humano depende da sempre crescente influência da Bíblia."4

9 Abraão Lincoln, 16.º presidente dos Estados Unidos, chamou a Bíblia de "a melhor dádiva que Deus já deu ao homem ... Sem ela, não saberíamos distinguir o certo do errado".5 O jurista britânico Sir William Blackstone destacou a influência da Bíblia ao dizer: "Destes dois alicerces, a lei da natureza e a lei da revelação [a Bíblia], dependem todas as leis humanas, ou seja, não se deve tolerar que nenhuma lei humana contradiga estas."6

Isto é evidência anedótica, uma táctica favorita da Sociedade. É claro que isto não prova nada, da mesma forma que nada ficaria provado se eles citassem meia dúzia de pessoas que acham que a Bíblia é um lixo.

Quanto a ser um livro influente, isso é verdade, mas de novo estamos perante pessoas que pensam que a Bíblia é a palavra de Deus, nada mais do que isso. Por exemplo, há nações inteiras no mundo muçulmano que estão a mudar a própria forma de governo e da sociedade segundo os moldes do Alcorão. Isto representa uma influência numa escala muito maior do que a influência da Bíblia, pois qual é a nação que declara explicitamente que está a mudar as suas leis e constituições para se encaixar nos moldes da Bíblia? Será que isto prova que o Alcorão é a palavra de Deus, visto ser um livro com tanta influência?

Estão a ver por que é que esse tipo de argumentação que a Sociedade usa não tem qualquer validade?

Odiada e Amada

10 Ao mesmo tempo, temos de observar que nenhum outro livro tem sido alvo de tanta oposição ferrenha e até mesmo de ódio, em toda a história. Bíblias foram incineradas em fogueiras públicas, desde a Idade Média até o nosso século 20. E a leitura ou a distribuição da Bíblia têm sido punidas com multas e encarceramentos, mesmo nos tempos modernos. Em séculos passados, tais "crimes" muitas vezes levavam a torturas e à morte.

Isso tinha menos a ver com a Bíblia do que com os objectivos políticos da igreja. A igreja tinha poder, queria conservar esse poder, e por isso manobrou os acontecimentos para manter a informação longe das pessoas comuns. Em que medida é que as maquinações da igreja provam alguma coisa acerca da inspiração da Bíblia?

11 Paralelo a isso, tem havido a devoção inspirada pela Bíblia. Muitos têm perseverado na leitura dela, apesar de implacável perseguição. Tome, por exemplo, William Tyndale, um inglês do século 16, educado na Universidade de Oxford e que se tornou um respeitado instrutor na Universidade de Cambridge.

12 Tyndale amava a Bíblia. Mas, nos seus dias, as autoridades religiosas insistiam em mantê-la em latim, uma língua morta. Assim, a fim de torná-la acessível aos seus conterrâneos, Tyndale decidiu traduzir a Bíblia para o inglês. Visto que isso era contra a lei, Tyndale tinha de renunciar à sua confortável carreira acadêmica e fugir para o continente europeu. Levou a vida difícil de fugitivo o tempo suficiente para traduzir as Escrituras Gregas (o "Novo Testamento") e parte das Escrituras Hebraicas (o "Antigo Testamento") para a sua língua nativa; mas finalmente foi preso, condenado por heresia e estrangulado, e seu corpo foi queimado.

13 Tyndale é apenas um dentre um grande número de pessoas que sacrificaram tudo para ler a Bíblia ou para torná-la disponível a outros. Nenhum outro livro inspirou em tantos homens e mulheres comuns tão grande coragem. Neste respeito, a Bíblia, deveras, não tem igual.

Mais uma vez, na medida em que Tyndale acreditava na Bíblia como palavra de Deus, assim ele estava disposto a enfrentar a morte. Hoje os indivíduos que fazem ataques suicidas com bombas ilustram o mesmo ponto no que diz respeito ao Alcorão. Qualquer dos casos nada mais nos diz além do estado mental da pessoa que se matou.

Afirmação de Que Ela É a Palavra de Deus

14 A Bíblia é também ímpar por causa da afirmação feita por muitos dos seus escritores. Cerca de 40 pessoas, inclusive reis, pastores, pescadores, funcionários públicos, sacerdotes, pelo menos um general, e um médico, participaram na escrita de diferentes partes da Bíblia. Mas, vez após vez, os escritores fizeram a mesma afirmação: que não estavam escrevendo as suas próprias idéias, mas as de Deus.

15 Neste respeito, muitas vezes lemos na Bíblia expressões tais como estas: "Foi o espírito de Jeová que falou por meu intermédio, e a sua palavra estava na minha língua", ou: "Assim disse o Soberano Senhor, Jeová dos exércitos." (2 Samuel 23:2; Isaías 22:15) Numa carta enviada a um co-evangelizador, o apóstolo Paulo escreveu: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra." -- 2 Timóteo 3:16, 17.

Se eu escrevesse um livro 'sagrado', também faria essa afirmação. É que dá-nos poder sobre os outros. Mas a mera afirmação de algo não o torna imediatamente verdadeiro. Essas afirmações não passam de um modo cómodo de se esquivar, caso alguém questione o que foi escrito.

16 Em harmonia com a sua afirmação de ser a palavra de Deus, não a de homem, a Bíblia dá respostas a perguntas a que só Deus pode responder. Por exemplo, ela explica por que os governos humanos foram incapazes de trazer paz duradoura, como os humanos podem obter a mais profunda satisfação na vida, e o que o futuro reserva para a terra e a humanidade sobre ela. Agora, você, como alguém que usa de reflexão, deve ter-se feito muitas vezes estas e outras perguntas similares. Então, por que não considerar pelo menos a possibilidade de que a Bíblia seja a Palavra de Deus e assim extraordinariamente capaz de fornecer respostas com autoridade?

Nós vamos de facto testar a Bíblia. O facto de a Bíblia afirmar que tem respostas, não quer dizer necessariamente que essas respostas sejam reais. Os escritos Mórmons dizem-nos que podemos ser deuses do nosso próprio planeta. Esta é uma resposta que só Deus pode dar, mas será que é a resposta correcta?

17 Exortamo-lo a examinar com cuidado a evidência apresentada neste livro. Alguns dos capítulos considerarão freqüentes críticas feitas à Bíblia. É a Bíblia anticientífica? Será que ela se contradiz? Contém história real ou apenas mitos? Aconteceram realmente os milagres registrados na Bíblia? Apresenta-se evidência lógica para responder a estas perguntas. Depois disso, consideram-se poderosas demonstrações da inspiração divina da Bíblia: suas profecias, sua profunda sabedoria e o notável efeito que ela exerce na vida das pessoas. Finalmente, veremos que efeito a Bíblia pode ter na sua vida.

18 Em primeiro lugar, porém, consideraremos como a Bíblia chegou a nós. Mesmo já a história deste espantoso livro fornece prova de que ela tem mais do que uma origem meramente humana.

Volte para a próxima para ver esses argumentos refutados...


Índice · English