Componentes do Sangue Proibidos Pela Sociedade Torre de Vigia

Lee Elder e Jan Haugland



Despertai!, 22 de outubro de 1990, p. 4

Sangue total: Não é surpreendente o fato de a proibição da Sociedade Torre de Vigia contra as transfusões de sangue obviamente incluir sangue total. Na vida real, porém, esta proibição tem pouca relevância. Durante as décadas de 1950 e 1960 eram comuns as transfusões de sangue total. Hoje, praticamente todo o sangue é dividido em componentes e os pacientes recebem apenas as frações que precisam.

Por essa razão, custa pouco à Sociedade Torre de Vigia sustentar uma proibição contra sangue total. Embora a literatura da Sociedade Torre de Vigia se refira freqüentemente a sangue total, isto limita-se a dar a aparência de sustentar princípios bíblicos, porque na maior parte do tempo as Testemunhas de Jeová enfrentam o problema de aceitar ou recusar um componente do sangue. Assim, a questão do sangue resume-se a distinguir entre estes componentes. Conforme veremos, a Sociedade Torre de Vigia faz essa distinção de um modo arbitrário que permanece um mistério.

A própria Sociedade Torre de Vigia descreveu como o sangue é separado em componentes. (Veja a Despertai! de 22 de outubro de 1990. Nota: a Despertai! afirma erradamente que os glóbulos brancos constituem 0,1% do sangue total. O número correto é cerca de 1%.)

Plasma: O plasma é um fluido amarelado no qual as células do sangue descritas acima estão suspensas. Contém fatores de coagulação como o Fator VIII que é usado no tratamento de hemofilia, albumina usada para o tratamento de choque cirúrgico ou queimaduras graves, e imunoglobulinas que protegem o corpo contra doenças infeciosas e são usadas no tratamento de imunodeficiência. Considerando que o plasma sangüíneo é cerca de 55% do volume do sangue, não admira que este componente seja proibido pela Sociedade Torre de Vigia. No entanto, temos de notar que esse plasma sangüíneo consiste em mais de 90% de água. Esta água nem sequer é parte da corrente sangüínea, conforme a Encyclopaedia Britannica explica:

"A água do plasma é livremente trocada com a água das células do corpo e fluidos extra-celulares e está disponível para manter o estado normal de hidratação de todos os tecidos." (The New Encyclopædia Britannica, 1988, Chicago: Encyclopædia Britannica, Inc., vol. 15, p. 131, Macropædia: "Blood" ["Sangue"])

Proibir a transfusão de água que até é livremente trocada com o resto do corpo não seria razoável. Com isto em mente, repare no que a Britannica também diz sobre o plasma:

"a sua solução majoritária é um grupo heterogêneo de proteínas que constitui cerca de 7 porcento do peso do plasma.... Outros constituintes incluem sais, glicose, aminoácidos, vitaminas, hormonas e produtos residuais do metabolismo." (ibid.)

Como é então constituído o resto do plasma? É constituído por albumina (o componente majoritário), imunoglobulinas, fibrinogênios e outros componentes usados no processo de coagulação. Outros componentes são importantes mas as frações são pequenas, como lípidos, que constituem menos de 1 grama por 100 milímetros cúbicos.

Repare neste ponto: os componentes que constituem o plasma são exatamente os mesmos componentes que encontramos na lista permitida pela Sociedade Torre de Vigia. Qual é a lógica da Sociedade Torre de Vigia ao proibir o plasma, mas autorizá-lo se for dividido nos seus componentes? Por razões compreensíveis, o Corpo Governante nunca respondeu a essa pergunta.

Glóbulos brancos (leucócitos): O termo "glóbulos brancos", que em inglês significa literalmente "células brancas do sangue", é de certa forma enganador, visto que há mais células dessas fora da corrente sangüínea do que dento dela. Só cerca de 2 a 3% estão no sangue, as restantes estão nas outras partes do corpo, de modo que uma Testemunha de Jeová que aceita um transplante de órgão recebe mais leucócitos do que receberia através de uma transfusão de sangue. Consequentemente, a proibição contra as transfusões de leucócitos não tem sentido.1

Além disso, hoje sabemos que o leite materno contém 5 a 12 vezes mais leucócitos do que uma quantidade correspondente de sangue. Por isso, um bebê recém-nascido recebe mais leucócitos do leite da sua mãe do que se recebesse uma quantidade equivalente de sangue. Portanto, desaparece o argumento contra esta componente do sangue. Ainda mais espantoso é que isto também se aplica ao leite de vaca, que é usado extensivamente como alimento e bebida em todo o mundo. Portanto, de cada vez que uma Testemunha de Jeová bebe leite, ela recebe uma maior quantidade de leucócitos proibidos do que se recebesse uma transfusão de sangue!

Num desenvolvimento interessante, foi dito recentemente a uma Testemunha de Jeová que ela podia aceitar uma transfusão autóloga de glóbulos brancos pois era um assunto de consciência. Isto levou a que se fizesse um artigo científico sobre a situação.

Glóbulos vermelhos: Estes estão entre os componentes proibidos mais importantes, pois desempenham a função vital de transportar oxigênio para o corpo. Constituem cerca de 45% do volume do sangue. Glóbulos vermelhos transportam oxigênio e são usados para tratar perda de sangue resultante de trauma e operações cirúrgicas. Algumas operações cardíacas podem usar até 20 doações. Transplantes de fígado normalmente usam 10 a 15 doações e uma operação ao quadril 2 a 6 doações.2

Plaquetas: Estas desempenham um papel importante no processo de coagulação. As plaquetas são amplamente usadas no tratamento de doenças como leucemia. Um paciente pode necessitar das plaquetas de 10 ou mais doações individuais todos os dias durante várias semanas. Como as plaquetas constituem uma ínfima percentagem do volume do sangue (0,17%), só nos podemos interrogar por que será que a Sociedade Torre de Vigia decidiu proibir este componente específico.3

Transfusões autólogas: Considere ainda outra proibição estranha. A Sociedade Torre de Vigia não permite que uma Testemunha de Jeová armazene o seu próprio sangue antecipadamente para uma operação. Se isto fosse permitido, não existiria o perigo de infeção tantas vezes mencionado na literatura das Testemunhas de Jeová. Além disso, seria disparatado argumentar que uma pessoa tem de se abster do seu próprio sangue. Contudo, na prática, é isso o que a Sociedade Torre de Vigia diz:

"Embora os cristãos não estejam sob a Lei mosaica, a Bíblia diz que é 'necessário' 'abster-nos de sangue', encarando-o como sagrado. (Atos 15:28, 29) Isso é compreensível, porque os sacrifícios que eram feitos sob a Lei prefiguravam o sangue de Cristo, a maneira de Deus pela qual podemos ganhar a vida eterna. -- Hebreus 9:11-15, 22.

Como se devia lidar com o sangue sob a Lei caso este não fosse usado em sacrifício? Lemos que se um caçador matasse um animal para alimento, "neste caso [tinha] de derramar seu sangue e cobri-lo com pó". (Levítico 17:13, 14; Deuteronômio 12:22-24) Assim, o sangue não devia ser usado para nutrição ou de qualquer outra forma. Se fosse tirado de uma criatura e não usado em sacrifício, era necessário desfazer-se dele na terra, o escabelo de Deus. -- Isaías 66:1; compare com Ezequiel 24:7, 8.

Isso claramente torna proibido certo uso comum de sangue autólogo -- a coleta pré-operatória, o armazenamento e posterior infusão do sangue do próprio paciente." (A Sentinela, 1.º de março de 1989, p. 30)

As transfusões autólogas são proibidas apesar de a Sociedade Torre de Vigia concordar que "os cristãos não est[ão] sob a Lei mosaica" e as Testemunhas de Jeová supostamente não estarem obrigadas a segui-la. A lei mosaica que requeria o derramamento do sangue animal no chão é o único argumento da Sociedade contra as transfusões autólogas. Esta proibição não tem sentido, porque muitas das frações permitidas pela Sociedade requerem o armazenamento de quantidades gigantescas de sangue.

Numa interessante mudança de rumo, a Sociedade Torre de Vigia agora está a permitir o uso de hemodiluição induzida (ANH). Este é um processo em que 2 a 4 unidades de sangue são removidas do corpo imediatamente antes da cirurgia e reinfundidas depois da cirurgia. O sangue é armazenado fora do corpo durante um curto período de tempo e o processo pode ser montado de forma que uma pequena quantidade de sangue continue a fluir de volta para o corpo. Juntamente com algumas técnicas de purificação de células, os médicos referem-se a este processo como sendo autotransfusão. A Torre de Vigia nunca utiliza essa palavra porque não quer que as Testemunhas vejam a ironia de ela estar afinal a permitir uma forma de "transfusão de sangue". -- Veja A Sentinela de 1.º de agosto de 1995, p. 30. Aplaudimos estes esforços para reformar a doutrina do sangue e para fazer as mudanças necessárias, embora difíceis. As reformas, porém, têm de ir além disso.


Notas

1 Leucócitos: "Em média, há 4.000 a 11.000 glóbulos brancos por milímetro cúbico e constituem cerca de 1% do volume total do sangue." (Elaine N. Marieb R.N., Ph.D., Essentials of Human Anatomy and Physiology, 1994, 4th edition, p. 294.) A imagem mostrada no início desta página foi tirada da Despertai! de 22 de outubro de 1990 e está claramente em erro quanto ao número de glóbulos brancos.

2 Glóbulos vermelhos: "Em adultos normais, os glóbulos vermelhos ocupam, em média, cerca de 48% do volume do sangue nos homens e cerca de 42% nas mulheres. A percentagem do volume do sangue constituído por eritrócitos é definida como hematócrito. A contagem de glóbulos vermelhos (i.e., a concentração de glóbulos vermelhos no sangue) normalmente tem uma média de cerca de 5,2 milhões/microlitro em homens adultos e 4,8 milhões/microlitro nas mulheres." (Robert M. Berne, M.D., Matthew N. Levy, M.D., Physiology, 1993, 3rd edition, p. 329)

3 Plaquetas: "As plaquetas têm aproximadamente a forma de um disco, entre metade e um terço do diâmetro de um glóbulo vermelho. No entanto, contêm apenas cerca de um treze avos do volume de um glóbulo vermelho." (Charles D. Lawrence, MPH, Ph.D., The Cardiac Catheterization Laboratory -- A Primer and Compendium for Technologists, 1995)


Índice · English